João Carlos Perdigão, diretor de coro, professor e autor
Músicos naturais do Concelho de Torres Vedras

Projeto em desenvolvimento, o Musorbis aproxima os munícipes do património musical. Serviço público sem financiamento público, o Musorbis foi lançado em dezembro de 2020. O processo de inserção de dados pode ser acelerado com a cooperação dos músicos no que se refere a currículos e fotografias em falta.

Carlos Garcia

Carlos Garcia nasceu em Torres Vedras, em 1983. É licenciado em Formação Musical e em Jazz (Piano) pela Escola Superior de Música de Lisboa. Ao longo da sua formação aprendeu e trabalhou com Luís Gomes (clarinete), Rui Paiva (órgão), Eurico Carrapatoso (análise e técnicas de composição), Pedro Moreira (big band), Lars Arens (arranjos), João Paulo Esteves da Silva, Antoine Hérve (piano jazz), Vasco Pearce de Azevedo, Ernst Shelle, Jean-Marc Burfin e Yibin Seow (direção de orquestra).

Lecionou Iniciação Musical e Formação Musical na Escola de Música do Conservatório Nacional durante 8 anos, nela dirigindo várias orquestras infantis e juvenis. Actualmente é professor assistente na Escola Superior de Música de Lisboa, lecionando nos cursos de Direção Coral-Formação Musical e Música na Comunidade.

Como pianista freelancer participa em projectos de diversos estilos de música e escreve regularmente peças originais e arranjos para diferentes tipos de grupos. Já trabalhou com Luís Represas, João Gil, Ana Moura, Mafalda Arnauth, Vitorino, Janita Salomé, entre outros. Integra actualmente o trio “Portugoesas” prestando homenagem à música tradicional Goesa.

Leia AQUI a biografia completa.

Carlos Garcia

Carlos Garcia, compositor, de Torres Vedras

Carlos Garcia, compositor, de Torres Vedras

João Carlos Perdigão

João Carlos Perdigão é natural do concelho de Torres Vedras. Foi aluno do Conservatório de Música Luís António Maldonado Rodrigues. Frequentou o curso básico de Canto Gregoriano e o curso secundário de Formação Musical. Concluiu a licenciatura em Música na Escola Superior de Música de Lisboa. É mestrando em Direção Coral na ESML.

Dedica-se pontualmente à escrita musical tendo já composto algumas obras para coro misto, coro masculino e coro com ensemble instrumental. É autor da coleção Sebenta de Formação Musical, que criou para dar resposta às necessidades sentidas no ensino da disciplina de Formação Musical. É docente das disciplinas de Formação Musical e Classe de Conjunto – Coro no Conservatório de Música Luís António Maldonado Rodrigues e na Academia de Música de Óbidos.

Como Diretor Coral tem colaborado com inúmeros agrupamentos em diversos projetos. Formou o Coro Masculino Luís António Maldonado Rodrigues em maio de 2016 e tem a seu cargo a sua direção artística. É maestro titular do Coro ESSA – Escola Salesiana do Estoril. Colabora regularmente com o coro Stella Matutina da Catedral de Évora. É membro da Capela Vocalle Magnificat desde o início da sua formação.

Leia AQUI a biografia completa.

João Carlos Perdigão

João Carlos Perdigão, diretor de coro, professor e autor

João Carlos Perdigão, diretor de coro, professor e autor

Nuno Rebelo

Nuno Rebelo nasceu em Torres Vedras, em 1960. Formado em Arquitetura pela Escola Superior de Belas Artes de Lisboa, desde muito cedo se dedicou exclusivamente à música, sendo auto-didata nesta área.

Durante a década de 80 destacou-se na música Pop, integrando os “Streetkids” (1980-82) e dirigindo os “Mler ife Dada” (1983-89). De 1990 a 92 dirigiu o grupo instrumental “Plopoplot Pot” e, entre 93 e 95, a “Poliploc Orkeshtra”, um ensemble de não-músicos constituído por alunos do Chapitô, que acompanhava com música ao vivo os filmes mudos “Nosferatu”, de Murnau, e Douro, Faina Fluvial, de Manoel de Oliveira.

No cinema, criou música para filmes de José Nascimento, Edgar Pêra, Ricardo Rezende, Jorge António, Jorge Paixão da Costa, etc.

No teatro, criou música para encenações de José Wallenstein, João Garcia Miguel, Paulo Filipe Monteiro, António Feio e Águeda Sena.

Leia AQUI a biografia completa.

Nuno Rebelo

Nuno Rebelo, guitarrista, de Torres Vedras

Nuno Rebelo, guitarrista, de Torres Vedras

Pedro Santos Ferreira

Pedro Santos Ferreira nasceu em Torres Vedras em 1987. O seu interesse pela música surgiu cedo, incentivado desde os 9 anos, quando iniciou os seus estudos de trompete. Aos 15 anos entrou para a Escola de Jazz de Torres Vedras, onde adquiriu e desenvolveu conhecimentos musicais no domínio da harmonia, formação musical e trompete com José Menezes e Johannes Krieger, entre outros.

Licenciou-se em Formação Musical e Direção Coral na Escola Superior de Música de Lisboa 2009, onde estudou direção coral com os maestros Vasco Pearce de Azevedo e Paulo Lourenço. Frequenta o mestrado em Direção Coral, na Escola Superior de Música de Lisboa.

Como coralista integrou, entre outros, o Coro Sinfónico Lisboa Cantat, o Coro de Câmara de Lisboa e o Coro de Câmara da Escola Superior de Música de Lisboa. Dirigiu o “Coro dos Pais e Amigos do Conservatório Nacional” (2010/2013), o “Grupo Coral dos Pequenos Cantores da Pontinha” (2010/2015) e o coro “Vozes Crescendo” (2012/2016). Pertence ao Coro Gregoriano de Lisboa, com quem gravou o CD “Os Apóstolos” (2011) e ao Ímpeto Ensemble.

Tem procurado enriquecer os seus conhecimentos, participando com frequência em classes de aperfeiçoamento, festivais corais e cursos de direção coral, nomeadamente o curso internacional de Direção e Pedagogia Coral “Vocalizze” (Almada), o curso “Zoltán Kodaly Music Pedagogical” (Institute of the Ferenc Liszt Academy of Music, Hungria), o “Curso Internacional de Música Vocal” (Aveiro) na especialidade de direção coral, o “Vocal Pop and Jazz Days” (Soesterberg, Holanda), o “Europa Cantat”, e o “World Symposium on Choral Music”.

É professor de coro no Conservatório de Música D. Dinis (desde 2009) ,dirige o coro Vozes em Si (desde 2013), o Coro Alto (desde 2019) e os três coros da Associação Coral de Odivelas, comPASSOS (desde 2018), entreOITAVAS (desde 2016) e emCANTUS (desde 2015), tendo conquistado com este último, no Festival Coros de Verão, em Belém, os diplomas de ouro I (2017) e ouro IV (2018).

Em maio de 2018 dirigiu a cantata Carmina Burana (versão para coro, dois pianos e percussão) em Odivelas, com os coros da Associação Coral de Odivelas e o coro D. Dinis do Conservatório de Música. É sócio fundador e membro da Direcção da Coros Portugal – Associação Portuguesa de Música Coral.

NBC

Timóteo de Deus ou NBC, como é conhecido no mundo artístico, é um músico “torriense”, como ele próprio se considera (embora o início da sua vida não esteja ligado ao concelho). É um dos primeiros “rappers” no país, que completou recentemente 20 anos de carreira.

HISTÓRIA

Hermínio do Nascimento

Hermínio do Nascimento, compositor, de Torres Vedras

Hermínio do Nascimento, compositor, de Torres Vedras

Queres destacar-te? Clica AQUI.

Destaca-te no Musorbis

Destaca-te no Musorbis