Joana Almeida, fagote, de Vale de Cambra
Músicos naturais do Concelho de Vale de Cambra

Projeto em desenvolvimento, o Musorbis aproxima os munícipes e os cidadãos do património musical e dos músicos do Concelho.

  • Andreia Soares (flauta transversal)
  • Catarina Silva (saxofone, 1999)
  • Daniela Oliveira (clarinete)
  • Joana Almeida (fagote)
  • Paulo Bastos (flauta transversal, 1997)
  • Ricardo Costa (trompa)

Joana Almeida

Joana Almeida, fagote, de Vale de Cambra

Joana Almeida, fagote, de Vale de Cambra

Catarina Silva

Catarina Isabel Almeida Tavares da Silva nasceu a 19 de julho de 1999 na freguesia de Macieira de Cambra, Vale de Cambra. Iniciou o seu percurso musical na Escola de Música António Pinho da Sociedade Artística Banda de Vale de Cambra aos 6 anos. Continua no Conservatório de Música da Jobra no ensino livre na classe de violino com Agnese Bravo e aos 8 anos prosseguiu na Academia de Música de Vale de Cambra no ensino articulado.

Frequentou aulas de saxofone na Escola de Música da banda local com Bruno Santos, tornando-se membro da mesma em 2011. Aos 12 anos, ingressou na Academia de Música de Vale de Cambra onde estudou saxofone com André Correia. Em 2017 concluiu o Curso Profissional de Instrumentista de Sopros e Percussão na Escola Profissional de Artes Performativas da Jobra, na classe dos professores Jorge Silva e Luís Lima.

No mesmo ano ingressou na Escola Superior de Música de Lisboa, realizando a licenciatura na classe dos professores José Massarão e Rodrigo Lima.

Trabalhou com os saxofonistas Jorge Silva, Luís Lima, Fernando Ramos, Nacho Gascón, Johan Van Der Linden, João Figueiredo, Hugo Marinheiro, Rodrigo Lima, José Massarão, Iyannis Miralis e também fez parte de estágios de orquestra com maestros como Gil Magalhães, Carlos Marques, Paulo Martins, Bruno Santos, Armando Saldarini, Francisco Ferreira, André Granjo, Francisco Sequeira, Valdemar Sequeira, Paulo Almeida, Hernâni Petiz, Fernando Marinho, Jonathan Costa, Hugo Folgar, Jose Ignacio Petit Matias,Linda Moorhouse, Mark Heron, Dario Sotelo, Rafael Agulló Albors e Jan Cober. Em 2015 obteve o 2º Prémio (categoria juvenil) no Concurso Internacional Terras De La Salette. Em 2016 participou no mesmo concurso, integrada na categoria júnior. Em 2016 participou nos Dias da Música no CCB (Centro Cultural de Belém) de 22 a 24 de Abril e no Verão na Casa – Casa da música com o quinteto de saxofones do ART’J.

Daniela Oliveira

Daniela Oliveira nasceu em 1999, em Vale de Cambra, onde reside, na freguesia de São Pedro de Castelões. Iniciou os estudos musicais em 2008 na Escola de Música da Banda de Vale de Cambra. Prosseguiu os estudos na Academia de Música de Vale de Cambra, tendo como professora Ana Rita Petiz. Mais tarde, ingressou na Banda de Música de Vale de Cambra com o diretor artístico Gil Magalhães. Em 2014 ingressou no Conservatório de Música da Jobra onde estudou com Carlos Jorge Ferreira, João Moreira, Luís Lima, Jorge Silva e José Figueiredo. Participou no Concurso Internacional de Instrumentos de Sopro “Terras De La Salette” na categoria juvenil nos anos 2014 e 2015. Trabalhou com os professores Carlos Alves, Horácio Ferreira, Sérgio Neves e Alain Rosa e participou como ouvinte em classes de aperfeiçoamento de Luís Cardoso, Iva Barbosa, Henri Bok, Josep Fuster.

Em contexto de orquestra, já trabalhou com os maestros Valdemar Sequeira, Carlos Marques, André Granjo, Armando Saldarini, Paulo Martins, Francisco Sequeira, Gil Magalhães, Cláudio Ferreira, Francisco Ferreira, Hernâni Petiz e Jonathan Costa. Concluiu os estudos em 2017 na Escola de Artes Performativas da Jobra. É professora de clarinete e formação musical na Escola de Música António Pinho.

Joana Almeida

Joana Almeida nasceu em Vale de Cambra em 1994. Iniciou os estudos em Fagote, no Conservatório de Música da JOBRA, na classe de Hugues Kesteman (2009). Em seguida ingressou na Licenciatura em Música Antiga – variante Fagote Barroco, classe de José Gomes e Hugues Kesteman (2012). Integrou o programa ERASMUS, no Royal Conservatory of The Hague (Holanda), durante um ano (2014/2015), na classe de Donna Agrell (Fagote Barroco e Clássico) e Wouter Verschure (Dulciana/Baixão).

Terminou em 2017 a pós-graduação em Interpretação Artística –fagote barroco e em 2019 o mestrado em Ensino –fagote, na ESMAE.

Trabalhou com outros fagotistas, como Melodie Michel, Benny Aghassy, Giorgio Mandolesi, José Figueiredo, Alain de Ryckere, Pierre Olivier. Participou no projeto de várias escolas de Música Antiga Europeias “La Follia – Intensive Programme in Cosenza” (Itália), no workshop “Regensburg Manuscript” em Utrecht (Holanda). Tem vindo a frequentar o Curso Internacional de Música Antiga de Idanha-a-Velha e o Curso Internacional de Música Antiga da ESMAE, encontro internacional de Flautas e Palhetas Duplas da Bélgica, entre outros.

Trabalhou em orquestra e ensemble com Pieter-Jan Belder, Kate Clark, Teunis van der Zwart, Amandine Beyer, Pedro Sousa Silva, Ana Mafalda Castro, Magna Ferreira, Charles Toet, Marco Ceccato, Alessandro Ciccolini, Peter Spissky, João Paulo Janeiro, Benjamin Chénier, Hugo Sanches, Tiago Simas Freire, Gilbert Camí Ferrás, Ronaldo Lopes, Miro Moreira, Francisco Luengo, Pedro Castro, Xurxo Varela, entre outros. Colaborou, enquanto docente, na Academia Júnior de Música Barroca, evento organizado pelo Curso de Música Antiga da ESMAE e no Conservatório de Música da JOBRA, em Formação em Contexto de Trabalho (FCT) com o tema Música Antiga.

Toca Baixão (fagote renascentista) no grupo “O Bando de Surunyo”, fagote barroco na “Camerata Lusitanea” e “Iberian Ensemble”. É membro fundador de um sexteto de sopros barroco (duas trompas, dois fagotes e dois oboés) no Norte de Portugal. Participa também em projetos com a orquestra Norte do Sul e é convidada para outros, tais como recriações históricas, concertos com o coro da universidade de Santiago de Compostela, projetos com a MAAC – Música Antiga Associação Musical, Fundação Casa de Mateus, Orquestra Barroca Aut Tacet e Orquestra Barroca da Casa da Música. Trabalha como docente de fagote no Conservatório de Música da JOBRA, Academia de Música de Costa Cabral, Escola de Música António Pinho (Sociedade Artística Banda de Vale de Cambra) e Escola da Banda de Música Pessegueirense.

Paulo Bastos

Paulo Bastos nasceu em 1997, em São Pedro de Castelões, Vale de Cambra. Iniciou os estudos musicais aos onze anos. Em 2008 ingressou na Academia de Música de Vale de Cambra onde iniciou os estudos em Flauta Transversal, com Teresa Paracana. Após frequentar o 1º grau na Academia de Musica de Vale de Cambra, obteve uma classificação final de 19 valores e fez acumulação do 1º para o 3º grau. Em 2012 concluiu o 5º grau sob a orientação do professor Tiago Santos. Paralelamente à sua entrada na Academia de Música de Vale de Cambra, frequentou aulas na Escola de Música da Banda de Vale de Cambra com Andreia Soares. Frequentou entre 2012 e 2015 o Curso Profissional de Instrumentista de Sopro e Percussão no Conservatório de Música da Jobra, onde veio a concluir o 8º grau sob orientação do professor Gil Magalhães.

Licenciado em Flauta Transversal na classe de Gil Magalhães, pela Universidade do Minho, concluiu a sua Licenciatura em Música – Variante Instrumento, no ano de 2018 com elevada classificação.

Enquanto instrumentista já colaborou com várias orquestras e frequentou diversos estágios e classes de aperfeiçoamento, trabalhando com os professores Ana Maria Ribeiro, Gil Magalhães, Eva Morais, Vasco Gouveia, Paulo Barros, Herlander Sousa, Adriana Ferreira, Olavo Barros, Angelina Rodrigues, Elisa Trigo, Rute Cruz, Celso Woltzenlogel, Rogério Wolf, Paola Regano, Michel Bellavance, Marc Grauwels, Maxcence Larrieu. Trabalhou em contexto de Orquestra com os maestros Alexandre Sousa, Rogério Peixinho, António Saiote, José Pedro Figueiredo, Carlos Marques, André Granjo, Alberto Roque, José Eduardo Gomes, Luís Carvalho, Armando Saldarini, Paulo Martins, Pedro Neves, Nick Ost, Gerardo Estrada, Hans Casteleyn, Claude Villaret, Artur Pinho Maria, José Ferreira Lobo e Valdemar Sequeira. Gravou  ao lado de António Victorino d’Almeida, peças de Brahms, Debussy, Ravel e Tchaikovsky para a RTP e RTP África. Fez formações que tem vindo a fazer e projetos realizados em Espanha, Itália e Alemanha.

Frequenta o 2º ano do Mestrado em Ensino de Música, onde se encontra a desenvolver o seu projeto de estágio no Conservatório de Música da Jobra. Como instrumentista integra a Orquestra Académica Portuguesa (OAP), e também a Banda de Música de Vale de Cambra. Trabalhou já em diversas escolas, nomeadamente na Escola de Música da Banda de Carregosa onde foi maestro da banda juvenil. Leciona as disciplinas de Flauta Transversal, Formação Musical e Classe de Conjunto. É professor na Escola de Música António Pinho (Vale de Cambra), desde 2013.

Ricardo Costa

Natural da Freguesia de Junqueira, Concelho de Vale de Cambra, Ricardo Costa principiou os estudos musicais com o Maestro Paulo Almeida, na Banda Musical Flor da Mocidade Junqueirense, onde já foi distinguido pelo seu esforço, empenho e dedicação demonstrado à instituição.

Começou por aprender Trompete, mais tarde Percussão e finalmente optou pela Trompa. Iniciou a sua Formação, com 12 anos, na Academia de Música de Vale de Cambra. Em 2008, foi admitido na Escola Profissional de Música de Espinho onde concluiu o Curso Básico de Instrumento e o Curso Profissional de Instrumentista de Sopro e Percussão.

Prosseguiu os estudos no Ensino Superior, na Universidade de Aveiro, onde concluiu a Licenciatura em Música e o Mestrado em Ensino de Música. [ Saiba mais AQUI. ]

0 comentários

Deixe um comentário

Quer participar?
Deixe a sua opinião!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *