Rancho Folclórico Casa do Povo Arcena
Folclore de Vila Franca de Xira

Grupos etnográficos, tradições e atividades no Concelho

  • Região: Ribatejo
  • Distrito: Lisboa
  • Concelho: Vila Franca de Xira

9 grupos

  • Associação Desportiva, Cultural e Social do Parque Residencial de Vialonga
  • Grupo Etnográfico de Danças e Cantares de Alverca do Ribatejo
  • Rancho Folclórico da Casa do Povo de Arcena
  • Rancho Folclórico da Casa do Povo de Vialonga
  • Rancho Folclórico de Alfarrobeira
  • Rancho Folclórico do Centro Social e Cultural do Bom Sucesso
  • Rancho Folclórico do Grupo Recreativo e Desportivo Bragadense
  • Rancho Folclórico “Os Camponeses” de Santa Eulália – Vialonga
  • Rancho Típico Avieiros de Vila Franca de Xira
Grupo Etnográfico de Danças e Cantares de Alverca do Ribatejo

O Grupo Etnográfico de Danças e Cantares de Alverca do Ribatejo nasceu da boa vontade do casal Joaquim Dias, Manuela Dias e seu filho Gil Dias, que andando no folclore há mais de 20 anos, sentiram a necessidade de representar etnograficamente a sua terra adotiva, Alverca do Ribatejo. Verificando que Alverca era uma terra de tradições próprias, iniciaram um longo trabalho de pesquisa e recolha de informações junto da população mais idosa, nascida em Alverca. Todavia, as pessoas que contactaram, mesmo sendo de Alverca, acabavam por dizer que era difícil saber se as cantigas seriam mesmo da terra, visto que se tinha deslocado para Alverca gente de todo o lado para trabalhar nas Oficinas de Material Aeronáutico em 1918. Reuniram depois, um grupo de jovens dispostos a representar Alverca e recriar a época do início do século passado até aos anos trinta.

Em 1996, o Grupo Etnográfico de Danças e Cantares de Alverca do Ribatejo, fez a sua estreia na cidade e desde então tem levado os usos e costumes de Alverca a todo o País, cantando e bailando as modas que conseguiram recolher e que ainda são recordadas por algumas pessoas já com idade avançada, que muito se comovem quando vêem ou ouvem o GEDCAR a representá-las.

GEDCAR

Grupo Etnográfico de Danças e Cantares de Alverca do Ribatejo

Grupo Etnográfico de Danças e Cantares de Alverca do Ribatejo

O GEDCAR é composto atualmente por cerca de 50 elementos, com idades entre os 9 aos 76 anos. Representa as mais diversas profissões que existiam em Alverca do Ribatejo nessa altura, como: valador, ferrador, cavador, cocheiro, salineiro, podador, campino de festas e de trabalho, aguadeira, lavadeira, mulher das quintas, mondadeira, ceifeira e ainda trajes de ver-a-Deus, romaria, domingueiros. O Grupo tem uma atividade intensa durante todo o ano, com Cânticos das Janeiras, Sagrada Família ao vivo, o aniversário do GEDCAR, a Festa Infantil, a Semana da Cultura Tradicional de Alverca do Ribatejo, o Concurso de Presépios Tradicionais nas Montras do Comércio Local e Exposições Etnográficas. Está inscrito no INATEL, na Associação do Distrito de Lisboa para a Cultura Tradicional Portuguesa e na Confederação Portuguesa das Coletividades da Cultura, Recreio e Desporto.

Rancho Folclórico da Casa do Povo de Arcena

Arcena é um pequeno lugar situado num extremo do concelho de Vila Franca de Xira, na antiga província do Ribatejo. O Rancho Folclórico da Casa do Povo de Arcena nasceu em 1979. Alguns anos mais tarde, deu início a um processo de desenvolvimento na área da “Etnografia” e “Folclore”. Está filiado na Federação do Folclore Português, no INATEL e na Federação Portuguesa das Coletividades de Cultura e Recreio.

Tem como objetivo pesquisar, recolher, preservar e divulgar o mais fielmente possível, o que foram os usos e costumes dos antepassados, mantendo as características próprias desta região de transição entre a Lezíria Ribatejana e a antiga província da Estremadura.

Dispõe de um Museu Etnográfico com mais de 2.000 peças. Continua a recolher e a fazer crescer significativamente as peças do acervo, sendo este um importante suporte da atividade do  Rancho.

RFCPA

Rancho Folclórico Casa do Povo Arcena

Rancho Folclórico Casa do Povo Arcena (o pitrolino)

Rancho Folclórico da Casa do Povo de Vialonga

O Rancho Folclórico da Casa do Povo de Vialonga nasceu em 17 de abril de 1982 como um rancho infantil e tornou-se no mais emblemático da freguesia, já com crianças e adultos. No início apresentavam-se à população todos vestidos de igual modo, rapazes de campinos e raparigas de ceifeiras. No final dos anos 80 decidiu fazer uma recolha apurada, junto das pessoas nascidas em Vialonga sobre as suas tradições e cultura, mas só em 2002 é que o rancho fez a sua viragem. Desta rigorosa pesquisa e recolha saíram as raízes vialonguenses que acabou por idealizar e recriar a época entre 1886 e 1900, a geração dos nossos “avós”.

Vialonga pertence ao concelho de Vila franca de Xira, Ribatejo, mas na época representada pelo nosso rancho a mesma pertencia ao Concelho de Lisboa através das freguesias da Graça e Santa Maria dos Olivais. Assim, as danças e cantares são de origem saloia, bem como ribatejana.

Em palco, o cuidado centra-se nos rituais de antigamente, seja em quadros etnográficos, na recriação de um baile bem como as situações sociais para que servia. O grupo usa trajes ribatejanos e saloios representados através das diversas profissões existentes na época: campino, gadanhador, lavrador, sapateiro, pastor, homem abastado, lavadeira, aguadeira, ceifeira, campina, queijeira, leiteira, entre outros.

Em 2005 iniciou-se o Rancho Infantil da Casa do Povo de Vialonga com o objetivo de retratar o dia-a-dia das crianças de antigamente. Em palco, teatralizam os recreios da escola com danças de roda e as suas brincadeiras: saltar à corda, o jogo do arco, do pião, a fisga, jogo das pedras e as bonecas. Quanto aos seus trajes, apresentam-se de diversas formas distinguindo-se sempre pelo seu poder económico. O grupo adulto tem cerca de 35 elementos, entre dançarinos e tocata, e o grupo infantil com 27 elementos, entre dançarinos e tocata.

Rancho Folclórico de Alfarrobeira

O Rancho Folclórico de Alfarrobeira foi fundado em 06 de janeiro de 1984 por Bento Gomes, Maria de Fátima e Maria Manuela. Tem 8 pares, um acordeão, 2 cantores, um tocador de bilhas, um tocador de ferrinhos, reco e pandeireta.

RFA

Rancho Folclórico de Alfarrobeira

Rancho Folclórico de Alfarrobeira

Rancho Folclórico do Centro Social e Cultural do Bom Sucesso

O Centro Social e Cultural do Bom Sucesso foi fundado em 1977 com o objetivo de promover a cultura o desporto e o lazer. Está filiado na Fundação INATEL, Confederação Portuguesa das Coletividades de Cultura Recreio e Desporto e ainda na Associação do Distrito de Lisboa para a Defesa da Cultura Tradicional Portuguesa.

Na década de noventa houve o incremento na dança com o surgimento do grupo de dança Kaminnhus e com a restruturação do rancho folclórico a criação da escola de folclore e da escola de música. Mercê das suas continuadas ações, viria a ser agraciado pela Junta de Freguesia com o Galardão de mérito cultural da cidade de Alverca primeiro em 1996, através do seu Rancho Folclórico e posteriormente, enquanto coletividade em 1998. Em 25 de abril de 2009 passou a ter a sua sede social no Centro Cultural do Bom Sucesso mercê de um acordo de parceria com a Câmara Municipal de Vila franca de Xira.

Centro Social e Cultural do Bom Sucesso

Centro Social e Cultural do Bom Sucesso

Atualmente mantém em atividade diversas classes em parceria com a Academia de Dança da Professora Paula Manso, escola de música, grupo de música popular “Sons de Sempre” e o Rancho Folclórico, além de outras valências.

Rancho Folclórico do Grupo Recreativo e Desportivo Bragadense

O Grupo Recreativo e Desportivo Bragadense foi fundado em 1975, no lugar das Bragadas, freguesia da Póvoa de Santa Iria, concelho de Vila Franca de Xira. Em 1978, foi eleita a primeira Direção. Foram construídos o bar e a ampliação da sede proporcionando a abertura de um salão de jogos, de um palco para o Rancho Folclórico e do ringue.

No capítulo do folclore e da etnografia, pontos fortes da Associação, quer o Rancho Folclórico (com 31 componentes), quer o Grupo de Cavaquinhos (com 14 componentes) possuem grande atividade efetuando bastantes atuações dentro do Concelho e fora dele, representando a história, divulgando as raízes populares e as tradições locais e nacionais.

Rancho Folclórico Os Camponeses de Santa Eulália

O Grupo Desportivo de Santa Eulália foi fundado em 1960. No ano de 1985 iniciou-se a construção da sala de espetáculos com 240 m2, onde têm sido realizados vários eventos de ordem lúdica tais como bailes, noites de fado, festas. Em 1996 foi fundado o Rancho Folclórico que tem percorrido um pouco de Portugal, dando a conhecer a outras populações um pouco dos usos e costumes da região, quer a nível de trajes, danças e cantares. Além de terem participado em vários festivais de folclore, organizam também um Festival no qual têm participado ranchos de renome.

RFCSE

Rancho Folclórico Os Camponeses de Santa Eulália

Rancho Folclórico Os Camponeses de Santa Eulália

Rancho Típico Avieiros de Vila Franca de Xira

Os avieiros eram pescadores originários da Praia da Vieira que, confrontados com as dificuldades durante os meses de Inverno e a evolução das técnicas de pesca com os arrastões, se viram obrigados a procurar trabalho em outras regiões. A sua instalação nas margens do Tejo fez-se de uma forma discreta, reconhecendo-se a sua presença nos finais dos anos trinta. Estabeleceram-se junto ao rio, em outras localidades, como Vala do Carregado, Alhandra e Salvaterra de Magos, em barracas palafitas.

Em Vila Franca de Xira fixaram-se no Esteiro do Nogueira, faixa ribeirinha entre o Jardim Municipal e a Ponte Marechal Carmona. Beneficiaram da localização junto ao Tejo e muito perto do centro da cidade. Hoje vivem num bairro com características mais modernas que foi construído no local.

O Rancho Típico dos Avieiros de Vila franca de Xira pretende mostrar a sua cultura e origens.

RTAVFX

Rancho Típico Avieiros de Vila Franca de Xira

Rancho Típico Avieiros de Vila Franca de Xira

EVENTOS

Em 2012, a Associação Desportiva, Cultural e Social do Parque Residencial de Vialonga realizou no dia 14 de Julho, o seu 26º aniversário de folclore, juntamente com um encontro de grupos de música popular portuguesa. A iniciativa teve lugar no jardim principal do parque residencial. Começou com a atuação do grupo de música tradicional portuguesa da associação, seguido do grupo da Associação de Reformados e Idosos de Alverca, Associação Cultural de Música Verde e Ecos de Basto. Além da entrega de lembranças, houve atuação dos ranchos folclóricos Flor do Alto Alentejo (Évora), Maceira (Leiria) e o Rancho Típico dos Avieiros de Vila Franca de Xira. À noite houve um jantar de convívio para os convidados.