Banda Filarmónica do Centro Cultural Azambujense
Filarmónicas de Azambuja

Bandas de Música, história e atividades no Concelho

Banda Filarmónica do Centro Cultural Azambujense

O Centro Cultural Azambujense, com o estatuto de utilidade pública desde 1998, foi oficialmente fundado em 21-05-1901. Já existia antes de Setembro de 1855, segundo Auto de Aclamação da época lavrada pela Câmara Municipal de Azambuja. Ao longo da sua existência, sem sede própria, sofreu várias crises e interrupções, tendo adotado outros nomes como: Sociedade Filarmónica Azambujense e Banda dos Bombeiros Voluntários, até que em 13-02-1958 surgiu a denominação atual com Brasão e Bandeira.

A sua Banda deslocou-se em 1996 à cidade de Troyes em França; em 2001 à cidade de Hamburgo, na Alemanha, a convite de uma organização de luso-descendentes; em 2011 aos Açores, Ilha do Pico, Vila de São Roque do Pico, a fim de participar num Projeto Musical – Intercâmbio Musical.

Na sua História constam também participações oficiais. Entre outras, em 2007 assinalou os 50 anos do Tratado de Roma, a convite do Parlamento Europeu e em 2011 os 100 anos da Constituição da República Portuguesa, a convite da Comissão do Centenário da República e Governo Português. No que diz respeito a gravações, em 2010, gravou um CD, com todas as Bandas Filarmónicas do Concelho de Azambuja e em 2011, um DVD, com o registo da atuação do Centenário da República.

CAA

Banda Filarmónica do Centro Cultural Azambujense

Banda Filarmónica do Centro Cultural Azambujense

No âmbito de reconhecimento público, ostentam no Estandarte da Coletividade as condecorações de Mérito Associativo, atribuído em 2001, pela Confederação Portuguesa das Coletividades de Cultura, Recreio e Desporto e de Mérito e Honra Musical, atribuída em 2014, pela Confederação Musical Portuguesa.

Dos maestros que dirigiram a Banda, há conhecimento, entre outros, de João Pedro Vieira, Virgílio Venceslau, Zózimo Cabecinha, Eugénio Castro, Celestino Raposo, Jaime Mendes, Reis de Carvalho, Américo Borda d’Água, João Teófilo, Pedro Simão, Paulo Garção, João Borges, Tenente Coronel Reginaldo Neves, Cassiano Cardoso, Rolando Ferreira e a partir de Novembro de 2014 é dirigida por Luís Miguel do Rosário Balão.

Em 2002 passou a ter sede própria com salão de festas e salas de aulas, pelo que foi possível dinamizar o ensino da música que encontrou uma franca adesão especialmente junto da juventude. Se até então eram os músicos mais antigos que se entregavam de forma generosa à formação dos novos elementos da Banda, foi possível com a Escola  melhorar o ensino musical recorrendo não só a músicos aqui formados, como a conceituados mestres.

0 comentários

Deixe um comentário

Quer participar?
Deixe a sua opinião!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *